29/07/15

Curso “Redes Sociais na Escola” estreia na rede municipal e traz diversas novidades para os educadores de São Paulo

Durante o recesso escolar, cerca de 68 profissionais da rede municipal de ensino de São Paulo  participaram do novo curso sobre “Redes Sociais na Escola”, oferecido pelo Núcleo Nas Ondas do Rádio. Os encontros ocorreram entre os dias 14 e 15 de julho, nas Diretorias Regionais de Educação (DREs) de Santo Amaro, Ipiranga e São Mateus.

Carlos Lima, coordenador do Núcleo, destaca o pioneirismo do Nas Ondas do Rádio ao utilizar as novas midiais sociais na rede municipal como uma ferramenta importante para articulação junto aos educadores e alunos. “As redes sociais devem ser olhadas com bons olhos pelos educadores, pois, ao possibilitar trocas e intercâmbios, já pode criar um ambiente favorável para aproximação entre professores e estudantes quando bem utilizadas”, comenta.

A proposta desse curso de formação continuada é promover a reflexão entre os educadores sobre o papel relevante das redes sociais na sociedade atual, assim como o debate sobre diferentes formas de serem utilizadas na escola com o objetivo de ampliar o direito à comunicação e a capacidade de expressão dos estudantes, por meio de novos canais e novas linguagens na relação com o outro.
Educadores planejam novas propostas educativas na DRE Santo Amaro

Durante esses dois dias, os educadores participaram de estudos de casos e atividades práticas, a fim de discutir sobre o uso seguro e responsável das redes sociais e experimentaram a utilização de algumas ferramentas, como o Pinterest, o Padlet, o Edmodo, o Facebook, o Whatsapp, entre outras.
As discussões em todas as turmas foram ricas e intensas. Os educadores puderam falar sobre suas vivências e trocar experiências com os demais colegas, tendo em vista a ampliação do uso das redes sociais como espaços educativos, bem como socializar aplicações e programas em dispositivos móveis que podem ser trabalhados em conjunto com as redes sociais.

“As redes sociais são uma realidade em nosso cotidiano. Estamos conectados por espaços de conversas virtuais por meio dos nossos computadores e celulares. Acredito que não é possível a escola dar as costas para esta realidade, mas é preciso sim potencializar o seu uso para favorecer a aprendizagem do aluno. Nessa perspectiva, criar espaços de discussões que promovam o uso destas tecnologias no cotidiano da sala de aula com o professor é fundamental para esta aproximação”, comentou a professora Regiane Calasans, da EMEF Carolina Rennó.
Participantes do curso na DRE Ipiranga experimentam o uso das redes sociais no celular
Os professores se sentiram motivados à implementar ações didáticas e metodológicas com o uso das redes sociais, norteando o interesse a partir de sua área de atuação. “O Pinterest é perfeito para trabalhar infográficos com conteúdo de língua inglesa com meus alunos”, disse Gislaine Castro, professora de Inglês na EMEF Ruy Barbosa. “Pretendo usar as redes com meus alunos para estender ações que começamos em sala de aula”, diz o professor de Filosofia e Geografia, Flávio Silva, da EMEF Visconde de Cairu.

Professores em atividade prática na DRE São Mateus
A avaliação dos participantes foi, de forma geral, bastante positiva. Os educadores apontaram a importância do curso para a sua prática pedagógica. “Sou professora da sala de informática na EMEF Plínio Salgado - extremo sul de São Paulo - e avalio este curso com fantástico! O mundo de informações que tivemos acesso nestes dois dias, bem como os debates e discussões baseados em casos práticos e reais, com certeza contribuirá para uma prática docente com um olhar diferenciado às novas tecnologias, no qual, ao invés de sentirmos medo ou aversão às mesmas, poderemos utilizá-las na medida do possível em prol de maior qualidade na educação paulistana”, ressaltou Marcia Alves.

O Núcleo Nas Ondas do Rádio oferecerá o curso para novas turmas a partir de setembro.

21/07/15

Professores criam revista Escola em Ação no recesso

Em apenas dois dias, 23 professores da rede criaram a revista Escola em Ação, passando por toda a etapa de produção de veículo de comunicação - pauta, texto, edição, diagramação e publicação. A atividade é o produto final do curso Imprensa Jovem - Produção Jornalística, que foi realizado na DRE Penha, nos dias 16 e 17 de julho.

No primeiro dia, os professores discutiram a importância da comunicação na sociedade e o exercício do jornalismo. Temas como notícia e a linguagem jornalística foram amplamente debatidos. Para mergulhar no mundo jornalístico, eles tiveram de elaborar textos e leads a partir de entrevistas com os colegas.

Já no segundo dia, o desafio era bem mais complexo e dinâmico: elaborar uma revista inteira. A atividade foi amplamente aceita pelos participantes, que aceitaram a proposta e participaram ativamente, tanto da elaboração das pautas, quanto da criação das páginas e domínio do Publisher.

"Foi muito interessante principalmente porque aliou teoria e prática. Nós vamos sair daqui estimulados a reproduzir a atividade com nossos alunos", disse a professora Maisa Almeida. Também foram muito enfatizados a desmistificação do veículo e a experiencia de trabalho conjunto entre os professores. "Cada um colaborou com a sua habilidade e conseguimos juntos alcançar um resultado muito positivo", avaliou o professor Sergio Silveira.

16/07/15

Redes Sociais na Escola: curso de férias na DRE São Mateus (14 e 15 de Julho)
Intensa experiência educomunicativa! Leia alguns depoimentos ao final.







Elen/ EMEF Benedito Montenegro

" Ensinar não é transferir conhecimento, mas criar as possibilidades para a sua própria produção ou a sua construção"
Meus agradecimentos a todos os docentes presentes nesse encontro, a professora Silene e aos organizadores do grupo. Foi um momento de intenso aprendizado e aprimoramento de idéias. Obrigada.

APARECIDA MARTINS

EMEI DEP. MÁRIO BENI
Durante o curso diversos assuntos foram tratados:
- tipos de redes sociais
- como usar estas mídias como ferramentas pedagógicas
- relações sociais
-direitos humanos
-liberdade de expressão
Para minha reflexão a questão mais importante é o respeito ao outro, princípio máximo para boa convivência.

Alessandra/EMEF Jardim das Laranjeiras

Reflexões sobre 15/07/2015...
Num contexto de reflexões e debates a respeito da liberdade de expressão, incluindo a forma como esta aparece nas redes sociais de comunicação, através de ampla e rápida divulgação, como acontece na Internet, vimos que em situações hipotéticas e em outras reais, o caminho necessário é o conhecimento e o diálogo.
Partilhamos  diferentes visões sobre um mesmo contexto, socializamos experiências e analisamos aspectos positivos e negativos, assim como as consequências inerentes ao mau uso  da liberdade de expressão.
Concluímos que as redes sociais são mais uma ferramente disponível para a implementação e/ou ampliação do diálogo na escola. Possibilita um novo relacionamento com toda a comunidade escolar: equipe gestora, alunos, familiares, professores etc.
Além do próprio grupo ter uma ótima visão dos assuntos abordados, a professora e orientadora Silene nos propôs, continuamente,  inculcações que geravam novas discussões, enriquecedoras!
O curso proporcionou novos conhecimentos e possíveis abordagens, dentro e fora da escola, colocando-nos como possíveis agentes do diálogo!
Dialogar e conhecer é preciso!!!
Alessandra.

Juliana/EMEF Flores da Cunha

As reflexões e discussões que fizemos hoje, foram bastante proveitosas, ouvimos diversos pontos de vista, aprendi bastante, enfim, 
o que levo é que o diálogo é a melhor ferramenta para resolver conflitos.

Anselmo

Show.

Rita de Cássia/ 2º Encontro

Silene conseguiu mediar muito bem vários diálogos e pontos de vista, que visaram incentivar e esclarecer situações variadas envolvendo comportamentos e posições éticas em relação aos comportamentos humanos e as revelações desses comportamentos nas redes sociais.
De maneira geral, o grupo é favorável a abertura, ou seja: contra a censura, pois todos os problemas podem ser resolvidos com diálogo e esclarecimento e todos têm o direito a expressar livremente suas opiniões.
Levo comigo muitas idéias e motivações para uma prática proveitosa dos meios de comunicação e em especial das Redes Sociais.
Valeu a pena!

Marcia R. Vargas/ Nini Duarte

Nosso encontro foi formidável e produtivo.

Marcia B. Durães/Emei Conj. Hab. S. FRancisco

Um homem não pode ser mais homem do que os outros,
 porque a liberdade é igualmente infinita em to
dos"
 Jean-Paul Sartre


Nossas reflexões foram muito produtivas, enfatizamos o diálogo e respeito em nossas colocações. Novas motivações nortearão minha prática.

07/07/15

Fanzines e HQs na DRE Campo Limpo

Foram nove fanzines  produzidos  pelos professores no curso Fanzine e HQ na Escola, que se encerrou  na quinta-feira, 30 de junho, e que  esteve sempre com a sala lotada, 30 participantes no total.
Na primeira aula, foram elaborados fanzines em papel cujo foco era “do que sou fã”. 
Vejam o vídeo de apresentação de alguns deles.
 

 Nas aulas seguintes, em grupo, eles produziram um fanzine digital.  Aprenderam a linguagem dos quadrinhos elaborando uma HQ que se transformou em digital.
Alguns grupos produziram a história em quadrinhos  a mão, desenhando em papel. Posteriormente levaram as imagens para publicação no software Issuu. Outras equipes produziram a HQ pelo Google Docs; alguns utilizaram o software Hagáquê, disponível nos computadores da rede  e outros, o software Toondoo, pela internet.
O resultado foi uma diversidade de temas e tipos de fanzines. Cada grupo aprendeu a ter o sua conta no ISSUU:
Ellen, Margareth, Roseli, Maria Silvia e Adriana abordaram o tema  “O que é a música para você?” que aborda o preconceito musical. “Pare de achar que cultura é só do que gosta”.
http://issuu.com/grupodaemefpaulocolombo/docs/ellen__adriana__margareth__silvia_e

Patrícia, Silvana e Mário resgatam a cultura italiana, trazendo a história desses imigrantes e sua influência em nossa cultura

Michele e Olinda produziram o divertido  “Proteste já contra os protestos!”

O fanzine de Cecilia, Gislene, Clécia, Nilda e Vanizia trata da corrupção em todas as instâncias

Laura produziu um instigante fanzine sobre Paulo Lemisnki, poeta e crítico literário.

Rodrigo, Susan e Antônia abordaram  a vida de professor.
http://issuu.com/rodrigopaulo/docs/vida_de_professor.pptx_6776494e678282/1 

A evolução da moda, dos anos 50 até hoje foi o tema de Camila, Isabel, Kelly e Leonete.

E a alimentação esteve presente em dois fanzines:
Ana Paula, Marise, Pâmela e Simone abordaram o prazer de comer bem

Luciana, Helena e Gisele produziram o “Pátio Comestível” que  enfocava a horta na escola.

Curso Fanzine e HQ na escola  -  DRE Campo Limpo - junho de 2015
Formadora: M. Salete P. Soares
Programa Nas Ondas da Educomunicação




Conheça os zines feitos na DRE Pirituba

No terceiro e último encontro do curso HQ e Fanzine na Escola, os participantes da DRE Pirituba produziram fanzines artesanais.

Veja abaixo alguns deles, escaneados:



No encontro anterior, a produção foi de HQs, usando o computador.

06/07/15

Jornal Especial do 6B faz sucesso na EMEI Cartola

Por Ednalva Marques de Souza

Sou a professora Ednalva, participei da formação em "jornal impresso" na DRE Capela do Socorro (junho). Ela foi providencial para o desenvolvimento do meu projeto com jornal impresso.

Ao desenvolver o projeto, sentia a necessidade de um direcionamento. E eu o obtive com o curso, realizado pela formadora Thaís Brianezi.

 Vejam abaixo o resultado do projeto. Só houve um pequeno problema: agora as crianças e as famílias querem que o jornal continue!

04/07/15

Revista Fala aí Mestre

As 22 professoras que participaram do curso Produção Jornalística, na DRE Ipiranga,criaram a revista Fala aí, Mestre. Em quatro encontros, elas percorreram todo o processo de produção, da pauta à publicação, passando pela redação, diagramação, edição e finalização das páginas. Tudo construído de forma coletiva e democrática.

03/07/15

Curso de Fotografia - DRE Jaçanã/Tremembé

No último dia 02 de Julho, a formadora Paola Prandini, do Programa Nas Ondas do Rádio, encerrou o curso "Nas Ondas da Fotografia", na DRE Jaçanã/Tremembé.

Após quatro encontros produtivos e com participação ativa de diversos educadores, a turma finalizou a última aula produzindo apresentações de foto-legendas com base nos conteúdos apresentados ao longo da formação. Confira, abaixo, os resultados!






Jornal aumenta união entre comunidade e escola no CEI Benedito Bueno

Por Luciana L. Bonato de Souza

Equipe do CEI Benedito Bueno unida em torno do projeto "Jornal Escolar".Primeira edição foi lançada em maio de 2015.


Estreitar o vínculo com a comunidade e divulgar o trabalho pedagógico desenvolvido foram os principiais objetivos que levaram a Equipe do CEI Benedito Bueno a desenvolver o Projeto “Jornal Escolar”.
A vontade já existia, mas faltava formação, incentivo, talvez coragem! Após participar da formação docente do Programa de  Educomunicação, oferecida pela DRE Pirituba, a Assistente de Diretor Luciana L. Bonato de Souza levou  à Equipe Escolar a proposta de produzir um jornal escolar a fim de criar mais um elo de comunicação com a família e comunidade e também mostrar que o CEI é um lugar onde a criança aprende (e muito) brincando.
Dentro do sistema educacional, o jornal impresso assume cada vez mais um papel importante como meio de comunicação. Um veículo precioso não somente dentro da própria comunidade escolar, mas também entre todos responsáveis pela educação das crianças e no meio em que elas se inserem. Assim, o jornal exerce o papel de registro histórico, sendo um subsídio para a construção da história do CEI.
Ao longo dos últimos anos fomos percebendo que os familiares pouco participavam da rotina escolar das nossas crianças. E ficávamos pensando o que poderia ser feito para que os pais se sentissem mais integrantes e acolhidos pela escola. 
A ideia de produzir o Jornal Impresso foi logo aceita pelo grupo, por ser um meio de comunicação de fácil leitura, prazeroso. E, também, algo a  que todos os familiares teriam acesso, uma vez que as crianças levaram um exemplar para casa.
A dinâmica do processo de construção do jornal é muito simples: as professoras selecionam dentre as atividades desenvolvidas com sua turma, aquela que ela gostaria de relatar. Então, escreveram sua matéria,  escolheram uma foto para ilustrar e entregaram para a Equipe Gestora, que ficou responsável pela diagramação do Jornal.
Para este ano de 2015 o jornal será trimestral, onde vamos compartilhar com a comunidade um pouquinho do que acontece aqui no CEI: projetos, atividades, calendário e matérias informativas.
Nossa primeira edição foi publicada em Maio e abordou sobre o Projeto Politico Pedagógico do CEI, relatos sobre a semana da Páscoa e projetos desenvolvidos pelos agrupamentos. Vejam abaixo o resultado. Foi um sucesso!


27/06/15

Participantes do curso de Jornal Impresso na DRE Capela do Socorro lançam jornal Notícia na Rede

Como resultado do curso Jornal Impresso na Escola”, realizado na Diretoria Regional de Ensino (DRE) Capela do Socorro, nos dias 12, 19 e 26 de junho, nasceu o “Notícia na Rede”. Os 22 professores que participaram do curso produziram o período do começo ao fim: desde a escolha da pauta, apuração, até a diagramação. O belo resultado você pode conferir abaixo!




O curso “Jornal Impresso na Escoa” faz parte do cardápio de aprendizagem do Núcleo de Educomunicação da Secretaria Municipal de Educação de Educação (SME) de São Paulo. Inicialmente conhecido como Programa Nas Ondas do Rádio, as atividades do Núcleo foram iniciadas em 2001, por meio de uma parceria com a Universidade de São Paulo (USP). E se tornaram política pública garantida por lei a partir de 2004.

Durante a formação, os participantes da DRE Capela do Socorro aprenderam com a formadora (e jornalista) Thaís Brianezi como um jornal impresso pode se transformar em um projeto educomunicativo dentro e fora da sala de aula. Eles conheceram o que é notícia, quais os elementos que a caracterizam e também praticaram outras técnicas de jornalismo. Entre elas: como fazer uma entrevista e como redigir um texto informativo acessível aos leitores.

Por meio da produção colaborativa de um jornal, estudantes e professores exercitam a leitura crítica de notícias. Algo que é fundamental na chamada sociedade da informação, na qual estamos submersos em conteúdos jornalísticos.

Além disso, e não menos importante, eles pesquisam e dão visibilidade a projetos, ações e temas da sua comunidade. Contribuem, assim, para aumentar a autoestima e o engajamento de seus membros.